Read Percepção, uma estranha realidade by Sara Farinha Online

percepo-uma-estranha-realidade

Joana cedo descobriu que os estados emocionais dos outros toldavam o seu raciocínio e moldavam o seu comportamento.Em busca duma vida anónima, Joana esconde-se em Londres, procurando ignorar a maldição que a impede de viver uma vida normal. É aí que a sua vida se cruza com a de Mark, um arqueólogo americano que viaja pelo mundo à procura de outros sensitivos como ele. JoanJoana cedo descobriu que os estados emocionais dos outros toldavam o seu raciocínio e moldavam o seu comportamento.Em busca duma vida anónima, Joana esconde-se em Londres, procurando ignorar a maldição que a impede de viver uma vida normal. É aí que a sua vida se cruza com a de Mark, um arqueólogo americano que viaja pelo mundo à procura de outros sensitivos como ele. Joana relutantemente aceita a amizade de Mark, acabando por encontrar nele o seu maior aliado na aprendizagem sobre a vivência dum sensitivo.As capacidades crescentes de Joana atraem as atenções não só de Mark como do Convénio, uma organização ilegal que pretende reunir sobre o seu domínio todos os Sensitivos. É apenas quando a sua melhor amiga é posta em perigo, que Joana descobre que a sua maldição pode ser um dom, e que a vida ultrapassa todos os seus receios e expectativas....

Title : Percepção, uma estranha realidade
Author :
Rating :
ISBN : 9789898455284
Format Type : Paperback
Number of Pages : 224 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

Percepção, uma estranha realidade Reviews

  • Ivonne
    2018-09-21 20:08

    Numa escrita fluída, Sara Farinha estreia-se com um enredo absolutamente fantástico e personagens singulares. É de muito fácil leitura. Sei que parece cliché, mas lê-se mesmo de um sopro!Criou uma personagem principal muito forte com uma grande inteligência emocional que tende a abafar essa particularidade com receio de se magoar a si e aos outros. Sendo eu uma aluna de Psicologia, ao ler o título, caí no erro de o julgar errada e precipitadamente. A autora desmistificou os preconceitos que rondam as sensações e as emoções. Não se deixou cair em clichés e aprofundou de uma forma brilhante o significado de empatia, levando-o além-fronteiras. Literalmente.A única crítica que pode ser considerada menos positiva recai sobre o desenrolar da acção. No início, a acção está um pouco estagnada, focalizada num monólogo interior sobre a sua vida, o seu dom e a vida dos demais seres humanos. Especialmente a relação com Mark, em que a ausência de muitos diálogos se faz notar, assim como, o pouco desenvolvimento sobre o Convénio. Não irei revelar mais, porque estaria a dizer demasiado, mas são pontos que, na minha opinião, poderiam ter sido melhor explorados. Talvez, fosse essa a estratégia da escritora e a sua ideia não fosse desenvolver demasiado os pontos que referi.Ou, talvez, a autora tivesse receio de que um maior desenvolvimento tornasse a história aborrecida. Só que não o é, de forma nenhuma no meu parecer e, talvez por isso, nunca o seria. Mas, mais uma vez, ressalvo a atenção para os julgamentos errados que fazemos, principalmente, sobre os escritores portugueses que têm tanto ou mais talento que os estrangeiros. Não se vê ainda é muita aposta neles. E a Alfarroba prima brilhantemente por isso.Quanto ao enredo, posso dizer que é bastante interessante. Não há muitos livros assim e que sejam de autores portugueses. A obra ficcional de Sara Farinha é um romance que se caracteriza pelo mundo das emoções, pela busca do sentido da vida. Apesar de tudo, a estagnação inicial é largamente compensada com um final repleto pelas duas características já mencionadas (acção e suspense). Chegando a essa altura, não consegui desgrudar os olhos das letras enquanto não terminei. Gostei, voltaria a lê-lo e se tivesse uma continuação, lê-la-ia de bom grado, onde pudesse ver um maior desenvolvimento sobre o Convénio. Se não houver sequência, espero que a escritora não pare de escrever, pois tem tudo para se afirmar dentro do género (ficção). É esperar para ver.Só me resta desejar à escritora um futuro brilhante na arte da Escrita e um Obrigada pela história com que nos presenteou. Venham mais!Quanto à Alfarroba, uma excelente aposta e… de uma escritora portuguesa. Adoro especialmente esse pormenor: a aposta em escritores portugueses. Não me canso de o repetir!

  • Vitor Frazão
    2018-09-25 00:09

    Estas 2 estrelas, são na verdade 2,5 ou mesmo 2,7, mas nunca 3. Se lerem o resto entenderão porquê. Humanos com capacidades psíquicas (nomeadamente empatia e telepatia, receptora e emissora), uma sociedade secreta com objectivos sinistros e a clássica personagem que vês os seus poderes como uma maldição, sendo infeliz por isso, são elementos familiares que me atraíram para a história, contudo, o facto de, logo no 2 capítulo, a coisa começar a enveredar para o romancete e de termos de esperar até ao capítulo 16 para vermos algo similar a um antagonista, abrandou-me o entusiasmo. Sim, está relacionado com os meus gosto pessoais e não com um observação imparcial da qualidade da obra, mas como estou a dar a minha opinião e não a de outra pessoa…A parte em que se explora os poderes e modo como eles afectam a vida da protagonista foi interessante, porém, de resto, estava à espera que fossem mais desenvolvidas as características de certas personagens secundárias e o conflito com o Convénio, em detrimento da história de amor. Pode ser que isso aconteça no próximo livro…

  • Pedro
    2018-09-15 00:10

    Oscilei entre as 3 e as 4 estrelas. Passo a explicar, a escrita é fluída e o tema original, mas estava à espera de ver o Convénio surgir mais cedo. Acabo por me decidir pelas três em mote de encorajamento, há arestas a limar e estou a cruzar os dedos para que o próximo livro surpreenda pela positiva, tanto como este me surpreendeu. Recomendo!

  • Rute Canhoto
    2018-10-01 01:26

    Acabei de ler “Percepção – Uma Estranha Realidade” a 6 de Fevereiro de 2012 e atribuo-lhe quatro estrelas.Gostei na estória no geral. Há quem tenha reclamado do romance entre Mark e Joana, mas sou uma romântica incurável, por isso gostei e não me importei que as coisas girassem tanto em torno deles. Gostei igualmente do facto das personagens serem sensitivos e não um elemento do paranormal demasiado comum, como vampiros ou lobisomens.Quanto ao que menos me agradou, tenho três coisas a apontar. A primeira é que se nota claramente que a autora deve ler bastante em Inglês, pelo que escreve de acordo com essa gramática. Por exemplo, em vez de usar o travessão num diálogo, usa aspas. Sou um pouco tradicionalista no que toca a este aspeto, por isso preferia que tivesse optado antes pelo clássico travessão. Em segundo, notei uma grande repetição de palavras; recorrer a sinónimos não fazia mal. Por fim, encontrei muitas partes que podemos apelidar de “palha”, na medida em que repetiam as coisas que Joana já tinha pensado antes e não traziam nada de novo à narrativa; era uma espiral repetitiva. Espero que estes detalhes sejam rectificados no próximo volume. Já agora, quando sairá?I read "Percepção – Uma Estranha Realidade" on 6th February 2012 and I rate it four stars.I liked the story overall. Some have complained about the romance between Mark and Joana, but I'm a hopeless romantic, so I liked it and didn’t mind that things spun around them so much. I also liked the fact that the characters are Psychics and not an element of the paranormal too common, like vampires or werewolves.As for what I liked the least, I have three things to stress out. The first one is that we can see clearly that the author must read a lot of books in English, therefore she writes in accordance with this grammar. For example, instead of using the indent in a dialogue, she uses quotation marks. I'm a bit traditionalist when it comes to this aspect, so I wished she had chosen the classic dash instead. Second, I noticed a large repetition of words - using synonyms wouldn’t harm. Finally, I found many parts that we call "rubish", as it repeated the things that Joana had already thought before and did not bring anything new to the narrative - it was a repetitive spiral. I hope these details will be rectified in the next volume. By the way, when will come out?

  • Sofia Teixeira
    2018-09-24 02:08

    Percepção - Uma Estranha Realidade é a obra de estreia de Sara Farinha no mundo literário português. Num momento em que vários jovens autores tentam vingar no nosso mercado, uns com mais sucesso que outros, foi com alguma surpresa e satisfação que constatei desde o princípio que tinha entre mãos uma autora diferente.A escritora traz até nós uma história que mistura laivos de fantasia e ficção científica com uma forte dose de romance. Ainda assim, estou longe de considerar esta obra um livro de FC como já vi fazerem.No fim da leitura, a impressão com que fiquei foi que esta é uma obra que se pode considerar introdutória para algo maior e melhor. A escrita de Sara Farinha é boa e agradável. Não senti aquele aborrecimento que por vezes sinto nas primeiras obras de jovens autores, quando ainda dão uns quantos erros ou as construções frásicas e a estrutura do texto não é a melhor. E é por esta razão que penso que a autora pode vir a fazer muito melhor no que toca à história em si.Até cerca de metade do livro, a trama centra-se muito no romance entre Joana e Mark, havendo pouco envolvimento de elementos exteriores e alguma falta de evolução no que toca aos poderes e ao mundo dos Sensitivos. Quando finalmente começa a haver alguma acção e os segredos começam a ser revelados, senti que tudo se passava depressa demais, com algumas explicações um pouco incompletas. O fim, esse, deixa uma premissa interessante para uma nova obra, mas gostaria de ver a autora a dar mais sumo à história que não só o romance entre Joana e Mark.Tudo o que apontei no parágrafo anterior não deve ser entendido como uma crítica destrutiva, muito pelo contrário. Aliás, só me dei ao trabalho de pormenorizar aqueles aspectos porque acredito muito sinceramente que Sara Farinha tem bastante potencial. A obra lê-se bem, as páginas vão voando e quando damos conta só nos interrogamos do que estará ainda para vir. Vou ficar à espera da próxima obra desta jovem autora portuguesa.

  • Ana Luisa
    2018-10-08 01:04

    http://viv-omundoencantadodoslivros.b...A Sara Farinha não é uma novata por estas andanças da escrita. Através das redes sociais podemos encontrar o seu trabalho e verificar as letras fazem parte do seu dia-a-dia. Apesar disso, tenho a dizer que ainda não tinha tido a oportunidade de ler o seu livro “Percepção, uma estranha realidade”.Gostei muito da temática, é algo diferente, que desperta a atenção e que, de certa forma, se destaca dos inúmeros livros que estão à venda no momento. Notei que ela foi bastante cuidadosa na construção da sua história, às vezes até em demasia, não deixando nada ao acaso. Quando menciono que a autora foi demasiado cuidadosa, refiro-me às longas descrições do estado de espírito ou pensamentos da protagonista, penso que poderia ter demonstrado o que se ia passando de uma forma mais suave e até através de diálogos, pois este detalhe (que não é totalmente mau) acaba por tornar toda a trama demasiado pesada fazendo com que a leitura se torne muito mais demorada. Mesmo assim, como qualquer romântica que se preze, gostei muito da relação de Mark e Joana. Uma relação que não me pareceu forçada e que se foi fortalecendo ao longo do livro.Outra coisa a melhorar poderia ser a formatação. Penso que ter os diálogos entre aspas apenas complica a leitura e o leitor não consegue “descansar” entre a narração e os diálogos, coisa que não iria acontecer se fosse usado o travessão nas falas das personagens.Bem, com este discurso todo até parece que não gostei da história, mas isso não é verdade. De todo! É uma história bonita, romântica e com alguma acção mais para o final.Gostei muito de o ler e fico à espera do próximo! Muitos parabéns à autora e espero ter a oportunidade de ler o próximo livro.

  • Vera
    2018-10-16 04:07

    Acabei de ler ontem à noite o livro Percepção uma estranha realidade de Sara Farinha e adorei! Um romance que a principio parece simples e se desenvolve numa teia mais complexa. Joana é uma portuguesa residente em Londres, fugida devido ao seu dom de sentir o que os outros sentem e sem forças para enfrentar a família e amigos. Uma verdadeira anti-social Joana não consegue gerir o relacionamento com os outros pelo facto de tudo ser condicionado pelo que sentem e ela gravitar à volta deles e agir levada pelos sentimentos alheios. Contudo ao conhecer Mark tudo muda e Joana durante uns tempos não consegue entender quem sente o quê. Este homem vem mudar radicalmente a vida de Joana que começa a entender e controlar melhor o seu dom e acaba por fazer descobertas fantásticas. Afinal não é uma aberração, a única no mundo com uma percepção dos sentimentos que a rodeia. Na verdade Joana como Mark e tantos outros é uma Sensitiva e por sinal bastante poderosa. Tenho pena que a relação com a sua melhor (e praticamente única) amiga tenha sido pouco explorada devido à grande focalização no casal. Assim o enredo gira muito à volta do romance entre as duas personagens principais tendo pouco espaço para outras personagens, exceto no fim que tem bastante ação. O final deixa as coisas em aberto para uma continuação que a chegar será concerteza estrondosa. É um livro muito bem conseguido devido à temática que não é usual. A escrita da Sara é bastante fácil e agradável, levando-nos a entrar rapidamente na história e fazendo-nos desejar saber mais sobre cada personagem e apesar de nunca ter ido a Londres senti-me transportada para lá a cada descrição. Recomendo este livro que mais uma vez vem mostrar a qualidade dos novos autores portugueses.

  • Maria João
    2018-10-04 21:17

    8 de 10*Imagine que consegue "ler" os sentimentos de todos os que se cruzam por si. Sentir as suas emoções, as suas raivas e frustações, as suas alegrias.E imagine que não tem forma de desligar esta realidade, portanto, sempre que está junto de outras pessoas não se consegue abstrair. E quando está numa relação com alguém sabe tudo o que essa pessoa sente e pensa. Complicado não?Comentário completo em:http://abibliotecadajoao.blogspot.pt/...

  • Soraia Pereira
    2018-09-24 01:18

    'Percepção' é um livro agradável. Foi a minha primeira aventura no que a livros de autores portugueses diz respeito. Gostei da sinopse e gostei da história em si e da temática. No entanto, fiquei com aquele sentimento de que a narrativa se desenrolou depressa demais numas partes do livro e noutras nem tanto... digamos que, no meu ponto de vista, não há uma consistência, principalmente na parte final. Atenção que isto é só um mero ponto de vista de um gosto pessoal.

  • Cristina
    2018-09-24 23:22

    Primeiro livro lido no ano 2012 e foi uma óptima escolha! Li-o num instante. De muito fácil leitura. Com mistério mesmo até ao final.Gostei bastante do livro e da história e da intensidade de sentimentos apresentados(não estivessemos nós a ler um romance sobre "sensitivos").

  • Clarinda
    2018-09-17 03:08

    Opinião: http://lerviverler.blogspot.pt/2012/0...

  • Rui Alex
    2018-09-17 01:04

    Uma leitura agradável com um emocionante final(ver opinião completa aqui)

  • Andreia
    2018-10-02 22:22

    http://d311nh4.blogspot.com/2012/01/p...

  • Sara Farinha
    2018-09-20 22:25