Read In Sexus Veritas - Volume 1 by Pedro Chagas Freitas Online

in-sexus-veritas-volume-1

"A esmagadora maioria das relações soçobra por excesso de eufemismos. Por alguém dizer "incomoda-me" quando devia dizer "deixa-me devastado"; por alguém dizer "peço-te que me expliques" quando devia dizer "exijo-te uma puta de uma explicação"; por alguém dizer "gostaria que não voltasses a fazer isso porque me magoa" quando devia dizer "pára com essa merda porque senão dou"A esmagadora maioria das relações soçobra por excesso de eufemismos. Por alguém dizer "incomoda-me" quando devia dizer "deixa-me devastado"; por alguém dizer "peço-te que me expliques" quando devia dizer "exijo-te uma puta de uma explicação"; por alguém dizer "gostaria que não voltasses a fazer isso porque me magoa" quando devia dizer "pára com essa merda porque senão dou-te um tiro nos cornos".Nada mata mais um amor do que um eufemismo.Nada mata mais uma relação do que um eufemismo.O amor é a única unidade lexical que não permite eufemismos.Nem no dicionário (que, como se sabe, tem habitualmente uma forma gélida de olhar para as palavras) eufemismo vem antes de amor. Colocando ao contrário: até no dicionário eufemismo vem depois de amor. Eufemismo vem sempre depois de amor: quando um começa a chegar o outro começa a ir.Se não permite eufemismos: então é amor."Um trolha homossexual. Um jogador de futebol filósofo. Um humorista deprimido. Uma prostituta de alma. Um assassino refinado. Uma prostituta de corpo. Um homem que consegue pensar e sentir o que os outros pensam e sentem.Numa obra que é um gigantesco monumento, mistura frenética de poema e de thriller, Pedro Chagas Freitas visita os mais profundos calabouços da humanidade: o amor, a morte, a inveja, a paixão, a raiva, a mentira, o medo, o ciúme. E o sexo. Sempre o sexo. Porque é nele, sempre nele, que se encontra a verdade....

Title : In Sexus Veritas - Volume 1
Author :
Rating :
ISBN : 19296140
Format Type : Paperback
Number of Pages : 1481 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

In Sexus Veritas - Volume 1 Reviews

  • Rosa Ramôa
    2019-01-03 03:01

    "pára com essa merda porque senão dou-te um tiro nos cornos"...

  • Ana Raquel
    2019-01-02 01:42

    Este é o 1º livro que leio de Pedro Chagas Freitas, e digo-vos que fiquei maravilhada com a sua escrita. Pois este autor, não escreve, brinca com as palavras o que faz parecer que escrever e ser escritor é tão fácil como ser-se idiota.Como é de conhecimento de todos (presumo eu), não é fácil escrever, nem ser escritor nos dias de hoje e mais difícil ainda, é cativar o leitor com a sua escrita irreverente e única. Creio estarmos perante um escritor, que decerto vai marcar a Literatura Portuguesa e provavelmente irá ganhar o Nobel da Literatura, tal como José Saramago ganhou em 1998 (a escrita de ambos e o espírito crítico são deveras semelhante).Este é um livro de histórias, que não só falam de sexo (sim porque o sexo, não é só, nem somente o acto físico, é muito mais) mas também de outros temas como o amor, a morte, a inveja, a paixão, a raiva, a mentira, o medo e o ciúme.Este é um livro que devora o leitor, com frases e pensamentos de uma profundidade admirável. Deixo-vos assim com alguns desses pensamentos/frases (Pedro Chagas Freitas, 2013):"A grandeza de um homem mede-se amiúde, pela capacidade de rir para os outros quando está a chorar para si.""Podes ser a pessoa mais amável e nunca seres amado.""nenhum amor resiste à fome.""a grande vitória é fazer os outros encontrarem as suas vitórias.""Todos os que se amam falam a mesma linguagem.""A informação é a arma mais mortífera do mundo. Saber demais, é sofrer demais, é querer demais, é morrer demais.""mesmo quando não mata a morte é a coisa mais mortífera do mundo:""Por mais vitórias que saboreies, por mais sucessos que alcances: se os procuraste e os conseguiste para simplesmente vingares a derrota que te um dia humilhou estarás sempre a saborear essa derrota. Nada mais do que essa derrota. Pode ter outro nome, pode ter outras cores, pode ter outros sabores.""Quem desiste não cede - quebra. Rasga, rompe. E cai.""Só uma mãe sabe o que é amar para sempre.""Toda a gente morre nos braços de toda a gente: aqui está uma boa definição de amor.""O pior das mães é que também podem morrer.""Um viciado em dinheiro é um prisioneiro do dinheiro."

  • Susana Camacho Palma
    2019-01-04 08:55

    muita parra pouca uva...

  • Catnaitab
    2019-01-08 03:33

    A lot of unconventional storytelling that works really well, especially in keeping the reader interested. Some philosophical thoughts made by the characters and by the narrator seem slightly empty or generalised but it does have some interesting ideas. In terms of its structure I believe less characters who we would delve more deeply into would have worked better because it would have justified some of their actions and made the narrative more plausible. The characters could be a bit better (especially the female characters that are both "prostitutes" and quite weak and perhaps stereotyped) and the thoughts slightly less repetitive but in general it is a good innovative way of writing that might be hard to enjoy in its entirety but nevertheless makes you want to find out what will happen next especially from the middle of the book where the reader is already familiarised with the characters.

  • Tiny
    2019-01-18 03:47

    Com este livro, já é o 4º livro que leio do autor... percebo o sucesso dele com o Prometo Falhar, desse livro gostei no entanto sei que não é um livro para toda a gente, mas com as outras obras não percebo o sucesso...Este livro é exageradamente grande (e ainda me falta ler a segunda parte), tem montes de parágrafos e expressões repetidas e sinto que ao longo da obra, o autor está sempre a repetir ideias, de novo pouco acrescenta. Chega a ser um suplicio ler uma obra dele porque em vez de estar a ler porque gosto, estou a ler porque me sinto obrigada visto ter gasto dinheiro.Há muitas frases que nos marcam mas no geral é um livro muito aborrecido.

  • Rodrigues Elsa
    2019-01-12 03:34

    Opinião no Efeito dos Livros

  • Nuno Fernandes
    2019-01-14 03:44

    Apesar da estrutura ser interessante, na minha opinião é um livro monótono.