Read Contos do Gin-Tonic by Mário-Henrique Leiria Online

contos-do-gin-tonic

Os Contos do Gin-Tonic são já um clássico da literatura surrealista, sabemos disso. Continuamos a lê-los e a relê-los, ano após ano, pelos dias fora, pelas noites dentro, sozinhos, em casa, aos amigos, em cafés, em bares, em teatros, nas ruas, à luz de um candeeiro qualquer, numa esquina errante, num espaço algures, de súbito reinventado, traduzido, recriado do fundo da noOs Contos do Gin-Tonic são já um clássico da literatura surrealista, sabemos disso. Continuamos a lê-los e a relê-los, ano após ano, pelos dias fora, pelas noites dentro, sozinhos, em casa, aos amigos, em cafés, em bares, em teatros, nas ruas, à luz de um candeeiro qualquer, numa esquina errante, num espaço algures, de súbito reinventado, traduzido, recriado do fundo da noite pela força motriz destas histórias rocambolescas, destes contos que recriam seres e situações, vidas, paixões e desesperos, recortes erráticos de um outro real, forçando-nos, sem dor, a parir mundos e a abraçar outras formas de pensamento...

Title : Contos do Gin-Tonic
Author :
Rating :
ISBN : 9789723323528
Format Type : Paperback
Number of Pages : 181 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

Contos do Gin-Tonic Reviews

  • carpe librorum :)
    2018-08-10 09:55

    Já tinha lido isto há uns anos, por causa de um trabalho para a disciplina de desenho. Um dia destes, a arrumar o sótão, dei com umas fotocópias da 2ª edição e decidi trazê-las para baixo e reler, coisa que fui fazendo aos poucos, um ou dois contos por dia, até que hoje reparei que faltavam cerca de 30 páginas e resolvi acabar com a miséria. É uma escrita muito gráfica, lá isso é. E absurdamente poética, mesmo o que não é escrito em verso. Não sei como é que os censores deixaram passar isto em 73, pois as referências políticas, se bem que muito bem disfarçadas, tornam-se por demais evidentes, mesmo para mim, a quarenta anos de distância do acontecimento.Como entretanto estive a ler Getting Even (versão portuguesa) não pude deixar de fazer algum paralelismo entre as duas obras, pois ambos gozam com o absurdo e dizendo um monte de barbaridades, dizem muitas verdades.

  • Ana Gomes
    2018-08-14 06:18

    Após várias sugestões da minha ex professora de literatura portuguesa, neste novo ano letivo decidi pegar nestes contos.Logo no primeiro conto notei referências políticas, sociais, etc. não esquecendo que o autor viveu num período conturbado em Portugal.Mário-Henrique Leiria é capaz de tornar vários assuntos em humor. Em um dos seus contos caricaturiza a comunhão (religiosa) de um modo, não só interessantíssimo mas também de um modo ridículo e humorístico.O leitor é capaz de se sentir confuso aquando a leitura de alguns contos, ou pelo menos, eu senti isso... Mas é exatamente essa confusão e mistério em cada conto que captou-me a atenção.Como tal, recomendo este livro a todos os interessados em pensarem, rirem e "viver" cada conto ao máximo."Noivado Estendeu os braços carinhosamente e avançou, de mãos abertas e cheias de ternura.- És tu Ernesto, meu amor?Não era. Era o Bernardo.Isso não os impediu de terem muitos meninos e não serem felizes.É o que faz a miopia."

  • Alexis Ahotep
    2018-08-10 06:53

    "Não me chamem senhorfoi o que eu dissequando cheguei ao caminho entre os teus seiosnão sabiamque eu possuia a tua línguae falaram-me com extrema precauçãocomo se fala a um estrangeironão sou senhor de nadaapenas conheço a terralíquida vegetal colorida quenteque desce dos rios que tu ésaté ao teu umbigoYaffacivilizações redondas e maciasantigas e cruéisreunidas na estranha palnícieque nunca me entregasteestendendo-se entre amorasaté se encontrarnum tempo primeiro e decisivofundo único exactoem colinas ondulantesonde nascem cantantes valesde laranjasque se repetem pelo horizonteaté junto à orla do teu mardeslizando entre cidades enterradasa recordar vestígios de paisagenscomo trombetas de ruído e salem caminhos de água e de memóriaYaffao teu sexo de repouso límpidoao som da flauta do tof e dos figos"

  • Artur Coelho
    2018-08-14 11:14

    Cruzei-me, finalmente, com estes textos agora clássicos pertententes a uma varianda da literatura portuguesa que, escapulindo-se a normas e sendo subversiva, não fica na sufocante, alg bafienta e nada aversa a modismos memória pública institucional. Mas fica na dos amantes da boa literatura, apreciadores de obras que pisam o risco e saltam para o lado de lá das cercas. Livros marcantes, que se vão encontrando em raras reedições, ou como samizdats alfarrabistas. Sabem o que quero dizer com isto. Aqueles livros esquecidos, se calhar com um grande suspiro de alívio dos meios mais convencionais, descobrimos em papel amarelecido e capa a desfazer-se nos caixotes das lojas de livros antigos. Estou um pouco rebelde nesta resenha. Enfim. Claramente fiquei sob influência destes contos.Se há impressão que nos fica ao finalizar a leitura destes deliciosos contos, fragmentos e poemas surrealistas, é a do sorriso perante a ironia corrosiva que os pervade. Algo que oscila entre o simples sorrir com o humor mas chega à caricatura subversiva que, se vista à luz da história portuguesa contemporânea, se compreende como uma reacção aos sufocos do bafiento fascismo de um estado novo prestes a derrocar.Categorizar este livro é algo de impossível, uma vez que saltita entre géneros. Dá até alguns toques na ficção científica. Mas também não interessa categorizá-lo. Vale mais saboreá-lo, acompanhado de golos de gin ou outra bebida igualmente capaz de assaltar os sentidos. E perceber que, tantos anos passados após a primeira edição, a sua capacidade subversiva ainda se mantém actual não pela memória histórica mas por vivermos num momento contemporâneo onde os bafios regressionistas e opressivos de ar respeitável voltaram a afirmar a sua força.

  • Rui Alves de Sousa
    2018-08-06 05:53

    «Contos do Gin Tonic» é um livro onde o humor e a surrealidade se encontram, através das pequenas histórias criadas por Mário-Henrique Leiria. Com tanto de Monty Python como de Vasco Santana e António Silva, estes contos malucos e irreverentes influenciaram uma geração de comediantes portugueses (Nuno Markl e Nilton incluídos) e continuam a ser engraçados, mais uns do que outros, hoje. É difícil escrever mais do que isto sobre um livro que tem um conteúdo tão vasto e impossível de ser analisado de uma forma concisa e objetiva. Apenas posso adicionar estas informações: é um livro divertido, que se lê muito rapidamente, cheio de histórias que podem agradar a todos os gostos e feitios humorísticos e que não deixa ninguém indiferente. Mário-Henrique Leiria foi um grande tradutor (são de sua autoria as primeiras edições nacionais de «Fahrenheit 451» de Ray Bradbury e «Admirável Mundo Novo» de Aldous Huxley), mas aqui atestamos a sua imaginação narrativa, conhecendo as suas mirabolantes personagens e as situações caricatas e ridículas por que têm de passar. Algumas histórias são mais curtinhas do que outras (uma ou outra parece ter o efeito da punchline de um número de stand up comedy, outras davam até para fazer um filme - completamente louco, é certo), mas a risibilidade está em todas, além de uma crítica social acentuada e que continua a fazer sentido. Os «Contos do Gin Tonic» são essenciais!

  • Valdemar Gomes
    2018-07-28 04:07

    Os contos, apesar das muralhas de polpa de madeira a distanciar um do próximo, é bem conetado entre si, tendo estendais por onde se penduram trapos e às vezes longos casacos de literatura amarrotada e às vezes abandonados à chuva. O maior estendal (ou o que está mais à mão na varanda) é a bebida! havendo um jogo bem engraçado entre cognac, gin tonic e gin tonic sem tónica.O surrealismo é curioso sendo que as partes mais surrealistas foram aquelas com que mais me relacionei, e as mais realistas foram as que mais voaram na minha cabeça. Dito isto, valeu a pena estender a roupa.

  • Célia
    2018-08-12 06:56

    Contos do Gin-Tonic é uma compilação de contos/mini-narrativas do escritor português Mário-Henrique Leiria, alguns em verso mas a maioria em prosa. São histórias com toques de surrealismo, humor e crítica social, que apesar de ser direcionada à época em que o livro foi publicado, pouco antes do 25 de abril, continua a manter-se atual. Gostei de ler, apesar da sensação frequente que muita da crítica social presente me estava a passar ao lado por falta de referências.

  • Francisco
    2018-07-28 03:51

    este man passou uns 8 anos na america latina, prova de que a árvore conto floresce muito bem nessa região. os meus contos preferidos são "LIVRE, CRISTÃ E OCIDENTAL", "NEGÓCIOS FERROVIÁRIOS", "BABELITE OU SEGISMUNDO O BABÉLICO" e a trágica e estóica "CIDADE"não consigo não dizer a palavra.......................BORGESufa!

  • Carolina
    2018-07-23 08:10

    Bastante interessante para quem gosta de surrealismo! ;)

  • Eugénio Lojo
    2018-08-03 02:54

    Este clássico do surrealismo português é um conjunto de histórias curtas e poemas surpreendentes e muito divertidos.

  • Inês
    2018-07-28 08:04

    read for 10th grade lit

  • Club Dos
    2018-07-27 07:13

    Um clássico da literatura portuguesa do século XX. Para os apreciadores, vejam as declamações de Mário Viegas. Qualquer busca no youtube dará excelentes resultados.

  • Olinda Gil
    2018-08-03 09:57

    Gosto muito mais dos "Novos Contos do Gin-Tonic", do mesmo autor

  • Ana
    2018-08-06 11:19

    um clássico do surreal