Read Os Pescadores by Raul Brandão Online

os-pescadores

Nesta obra, o autor oferece-nos belas telas ricas de cor, de luz, dos vários elementos colhidos na natureza.O entardecer nas suas várias cambiantes, conforme o lugar e o tempo, é descrito em pinceladas fortes com verbos no presente - a acção em decurso e com o subjectivismo do autor arrastado pelo sonho e transpor para as telas, que sugere, a tragédia de um poente tempestuNesta obra, o autor oferece-nos belas telas ricas de cor, de luz, dos vários elementos colhidos na natureza.O entardecer nas suas várias cambiantes, conforme o lugar e o tempo, é descrito em pinceladas fortes com verbos no presente - a acção em decurso e com o subjectivismo do autor arrastado pelo sonho e transpor para as telas, que sugere, a tragédia de um poente tempestuoso à beira-mar que é sempre temível para os pescadores.Além de belos quadros paisagísticos, também nos oferece sugestivos retratos - o do faroleiro, a velha da Foz do Douro, a sanjoaneira, a mulher da Afurada, de Mira "feia mas esbelta (que) tem ar grave e senhoril quase sempre", a heróica Ti Ana Arneira da Gafanha, a mulher da Murtosa "baixa e atarracada", a de Ovar "delicada e forte, alta e bem proporcionada, cheia de predicados domésticos e morais", a poveira "a bem dizer - um homem", a Rata da Foz. É evidente a simpatia de Raul Brandão pela sua dolorosa vida difícil, de trabalho, de explorados....

Title : Os Pescadores
Author :
Rating :
ISBN : 9789725681312
Format Type : Capa Mole
Number of Pages : 184 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

Os Pescadores Reviews

  • Luís C.
    2019-06-17 13:02

    There are traditions and customs of some people that are not usually lost, such as religious, gastronomic or sports. In relation to the Portuguese people, the fishing tradition is very accentuated. It gained notoriety in the time of dictatorship, where misery thrived. Several types of Portuguese fishing are analyzed here, such as line fishing and offshore fishing. Several fishing sites in Portugal are also explored in detail, from the north to the south of the country. (Foz do Douro to Sagres).Being an exalted biographer of the human condition, he transited between two currents that prevailed at the time, decadentism and symbolism, passing later on by Impressionism, also accumulated his passion for the sea, having also passed through the army, where he retired as captain.

  • Paula M.
    2019-06-01 11:27

    A própria paisagem só depois que a perdi é que a entendi bem, talvez porque a amo mais.Há gente "que traz o mar nos olhos". Raul Brandão homenageou essa gente de costumes simples e vida eternamente sacrificada que, costa fora, vive e morre no mar. De Caminha a Sagres, o escritor detém-se fotograficamente ou deixa as suas impressões de determinados locais e momentos. Regista também a sua forte ligação com o mar e o imenso respeito e amor pelos pescadores e suas famílias. Este é, sem dúvida, de entre todos os livros que li este ano, o "meu livro do ano". Belíssimo .

  • Pedro Varanda
    2019-06-09 13:20

    Um excelente livro escrito com uma lindíssima prosa poética que é na verdade uma homenagem ao mar e às pessoas que dele vivem. Ao mesmo tempo é um documento social impressionante sobre a vida durissima e muitas vezes tão curta dos pescadores do início do século. Gostei muito e recomendo.

  • Daniela
    2019-06-02 09:19

    "É saudade, mas não é só saudade. Isto vem de muito fundo. (...) Esta paisagem- mar, rio e céu - entranhou-se-me na alma, não como paisagem, mas como sentimento."

  • Danielroffle
    2019-06-15 14:20

    Descrições técnicas alargadas do ofício de pescador, combinadas com algumas descrições de paisagens e comentários sobre a miséria em que vivia (e vive) quem faz vida do mar. É socialmente positivo que alguém tenha escrito este livro a essa altura, mas aqui entre nós: alta seca.

  • Cloud
    2019-06-23 12:59

    " (...) factos insignificantes impressionaram-me para sempre a retina e a alma. Muito tempo perdi-os no tropel da vida, impõe-se-me hoje com um relevo extraordinário. Vejo outra vez tudo; as fisionomias, as coisas, a cor e a luz. (...)São nadas que farão sorrir os outros. São efectivamente nadas...E no entanto reconheço que essa foi a melhor parte da minha existência, minuto único de saudade em que a luz se suspende e o universo se entranha sempre na alma. É a própria vida com um encanto que não torna, é o abrir dos olhos para uma manhã deliciosa (...). Tudo é novo e esplêndido. Embriaga o ar que se respira e o primeiro sonho que sonhamos."

  • Manuela
    2019-06-23 08:59

    This book always leaves me feeling a bit sad. Both my grandparents were fishermen at a point in their lives and from what I've heard, life at sea was as difficult as Raul Brandão describes it. This is one of the best Portuguese books I've ever read.

  • Tiago
    2019-06-06 08:58

    É um livo de colar imagens na retina e na alma!

  • Cláudia Santos
    2019-06-20 11:25

    Um livro muito bonito. Deve ser lido com cuidado pois é um autêntico postal ilustrado da vida, dos costumes e dos locais dos pescadores. A obra percorre toda a costa portuguesa, acabando por constituir-se num belo álbum de postais.Encantei-me com as descrições dos locais, das gentes, dos processos piscatórios, do pôr-do-sol, das redes, de tudo o que compõe a vida dura dos pescadores. O livro tem pormenores deliciosos, como a diferenciação das mulheres dos pescadores conforme as suas localidades. Umas são esguias e louras, outras rectângulos de dureza. Em todas estas descrições denota-se o amor e a admiração que o autor tem por aquela gente.Gostei também da escrita opinativa, de defesa do grupo, da posição ideológica que é suportada, sem véus mas transmitida com poesia.Recomendo.

  • Cláudia
    2019-06-16 14:08

    3.5Foi a primeira leitura de Raul Brandão e deu para perceber o seu fascínio pela pobreza e pelo sofrimento que a mesma causa. A sua escrita realça todos os sacrificios que os pescadores fazem, em pequenos contos/relatos que são sempre compostos por longas descrições sobre a paisagem. Se fosse um pintor, nenhum pormenor ficaria de fora. Todo o livro me pareceu um longo monólogo, o que por vezes me aborreceu bastante mas, em termos de experiência de leitura, não foi de deitar fora.